Ailton Vilela Primo
Prosas, versos e crônicas frutos de uma alma inquieta e livre.
Textos
  O AMANHECER...          
           A necessidade de trabalhar me fez acostumar desde criança a levantar antes do sol. Porém alem das obrigações fui me acostumando a ver e me deliciar com as imagens e sons do amanhecer.  Esse hábito permanece até hoje. Com frequência  me levanto entre cinco e seis da manhã, e solitário me sento na sacada do apartamento para ver e sentir o dia começar. É um espetáculo gratuito lindo e cotidiano. A imagem comparativa que faço é com o "bolero de Ravel", começa bem baixinho, num ritmo gostoso, calmo e aos. poucos vai aumentando sons, criando vida, a medida que os músicos e instrumentos vão vão somando seu protagonismo. Tudo sob a direção do maestro. - A claridade vem se insinuando de mansinho e aos poucos vai aumentando, trazendo com ela sons que se repetem a cada dia. Identifico sem olhar as portas da padaria se abrindo, o caminhão do lixo passando, a moto do entregador de jornal. Ouço o "bom dia" das diaristas e empregadas que começam a chegar para o trabalho. Enquanto a claridade no horizonte vai aumentando e nos oferecendo coloridos lindos, aumenta também o número de pessoas e carros transitando. É a vida se apresentando no palco como se dissesse: "Aproveitem esse dia, façam o melhor que puderem, vivam em harmonia, interajam e cuidem uns dos outros, e prestem atenção no maestro".  Fecho os olhos e sinto esse cotidiano e energizante espetáculo que em mim produz euforia e júbilo. É como se a natureza pusesse diante dos homens para que eles escrevessem a múltiplas mãos mais uma página do diário da vida. Alguns vão estar mais inspirados, outros menos e isso daria a ela conteúdos  e coloridos diferentes. O amanhecer nos prepara para um reinício agora revitalizados pela noite de descanso, de nossas funções e atividades, mantendo em giro constante a engrenagem da vida. Ah, o Maestro é Deus. AVP MARÇO/2019
Al Primo
Enviado por Al Primo em 21/03/2019
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras